Vereadores atacam liminar contrária à renovação da frota de ônibus

Parana Divulga Sem categoria

Os vereadores atacaram na sessão desta quarta-feira, 18, a liminar concedida em 2013 pela Justiça às concessionárias do transporte coletivo que as desobriga de renovar a frota de ônibus em Curitiba. “Que a liminar seja derrubada ou que os empresários fechem um acordo”, disse Osias Moraes (PRB).
Na tribuna, Moraes também lamentou a decisão do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) que suspendeu a redução da tarifa técnica (valor repassado por passageiro às empresas) em R$ 0,24.  “Nós sabemos que nossa capital é a capital com a passagem de ônibus mais cara, de R$ 4,25”, declarou Moraes, para quem a prefeitura “tem feito um esforço muito grande para renovar o sistema sucateado”.
Dos 1.656 veículos, 426 circulam há dez anos ou mais e já deveriam, de acordo com o contrato de uso, serem substituídos. Até o final de 2017, o número chegará a 529.
“Amanhã esse número (de veículos com a vida útil vencida) vai aumentar, se nada acontecer”, disse Rogério Campos (PSC), da diretoria do sindicato dos trabalhadores do transporte coletivo, o Sindimoc.
Na análise de Campos, “ônibus velho, pegando fogo, caindo porta, ônibus que não dá condição do motorista exercer 100% de seu profissionalismo afastam os usuários do sistema”. “Com menos passageiros pagantes, a tendência é que a tarifa aumente”, disse.
E completou Rogério Campos: “Se vem essa frota nova, a Urbs disse, aqui em audiência pública, que o prefeito determinou que os ônibus novos venham equipados com câmeras de segurança”, defendeu, sobre demanda da categoria contra assaltos.
Sobre o tema, o vereador Ezequias Barros apontou ainda que “se nós queremos aumentar a quantidade de passageiros no sistema, temos que melhorar a qualidade nos ônibus”.
O vereador Bruno Pessuti (PSD) lembrou também que a idade vencida “vem sendo denunciada desde 2014” e lamentou fala do presidente do Sindimoc. Segundo o parlamentar, Anderson Teixeira disse que a decisão do TJ-PR é uma “vitória da população”.  “Não, é uma vitória das empresas, enquanto a população sofre cada vez mais com a falta de qualidade”, destacou.
Já Thiago Ferro (PSDB) e Jairo Marcelino (PSD) reforçaram a necessidade de ônibus mais novos.