Hussein Bakri dá um puxão de orelha no Soldado Fruet

Os deputados Hussein Bakri (PSD) e Ricardo Arruda (PSL) deram um puxão de orelha no deputado Soldado Fruet (Pros) que apresentou um projeto inconstitucional na Assembleia Legislativa e cobrou, dos parlamentares, de forma grosseira e açodada a votação da proposta. “Essa história de vir dar uma de bonzinho na tribuna e depois por trás fica mandando os outros acionar o whatsapp como se nós, deputados da base, fôssemos culpados por um projeto incondicional não funciona”, disse Bakri, líder do Governo Ratinho Junior no legislativo estadual.

“Esse projeto é claramente inconstitucional. Tem que ter responsabilidade porque se cria expectativa, sabendo que não será aprovada. Isso é lamentável. É muito fácil fazer um projeto e exigir que o governo pague a conta. O governo tem gasto além do normal e tem arrecadado menos que o normal devido a pandemia. Temos que ter o bom senso e fazer projetos compatíveis e que realmente possam beneficiar a população”, criticou Arruda.  

Hussein Bakri foi mais longe com as críticas a Fruet. “O senhor não tem nada de inocência. O senhor mente quando fala que é independente. Por várias vezes tem ofendido o governador nas redes sociais. Fui convidado pelo governador (para a liderança do governo) certamente pela confiança na minha pessoa. Talvez, ele me ache capaz de exercer e conduzir esse trabalho, mas isso não é nem da minha conta, nem da sua conta, é uma decisão do governador que não cabe o senhor avaliar, até porque o senhor não é da base, não lhe devo satisfação nenhuma”, disse.

Bakri afirmou que Fruet pauta sua atividade parlamentar voltada a eleição municipal de Foz do Iguaçu em 15 de novembro. “O  senhor tem sua esposa que é candidata a prefeita em Foz do Iguaçu, evidentemente vai fazer de tudo para que ela seja eleita. Agora, não faça isso usando seus colegas (deputados)”.

“O senhor passou o número de celular de todos os colegas que receberam mensagem, alguns ofensivas, de um projeto totalmente inconstitucional, que o senhor sabe que é. Siga o seu caminho. Se tivesse boa vontade, teria retirado o projeto de pauta  para depois discutir. Portanto, tantas vezes que o senhor vier com projetos demagógicos, nós estaremos contra”, completou.