Saneamento básico – Artigo Santin Roveda

Parana Divulga Sem categoria Leave a Comment

Recente estudo do Instituto de Longevidade Mongeral realizado em parceria com a Fundação Getúlio Vargas posiciona União da Vitória entre as 50 melhores cidades para envelhecer no Brasil. O nosso município apresenta, de acordo com a análise, as sete principais variáveis positivas de qualidade de vida para quem tem mais de 60 anos: cuidados com a saúde, bem-estar, finanças, habitação, educação e trabalho, cultura e engajamento e indicadores gerais. 

Com mais de 56 mil moradores e localizada no sudoeste, União da Vitória reúne características específicas para oferecer qualidade de vida à população. Temos uma natureza exuberante, bons serviços públicos e a economia em pleno desenvolvimento. A posição de destaque no cenário nacional impulsiona, consequentemente, o desenvolvimento em outras áreas do município e nos motiva a trabalhar com mais afinco para melhorar ainda mais a qualidade de vida da população. 

Nesta semana, formalizamos um convênio de extrema importância para elevar o padrão e o bem-estar dos moradores de União da Vitória. Junto com o governador Beto Richa, com o presidente da Sanepar, Mounir Chaowiche, e representantes da Caixa Econômica, assinei contrato para o repasse de R$ 35,2 milhões em investimentos para ampliar a rede de saneamento básico no município. 

Com o aporte dos recursos, em quatro anos, até 2020, vamos ampliar de 28% a cobertura da rede de esgoto e abastecimento de água para 70%. A rede de saneamento, neste prazo, será triplicada.
As obras são significativas e vão melhorar substancialmente a qualidade de vida e de saúde dos moradores de praticamente todos os bairros de União da Vitória. Melhorar o sistema sanitário significa, na prática, melhorar ainda o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) no município. 

No Brasil, o saneamento básico é um direito assegurado pela Constituição e definido pela Lei nº. 11.445/2007 como o conjunto dos serviços, infraestrutura e instalações operacionais de abastecimento de água, esgotamento sanitário, limpeza urbana, drenagem urbana, manejos de resíduos sólidos e de águas pluviais. 

Como gestor, entendo ainda o plano de saneamento básico como um instrumento indispensável para as políticas públicas nas cidades. Por isto, a adoção de um plano estratégico de saneamento básico será fundamental para a prevenção de doenças, minimizar ainda impactos financeiros no sistema de saúde do município e manter a qualidade e a longevidade de vida dos moradores de União da Vitória. 

A qualidade do sistema de saneamento incide diretamente nos resultados do IDH. Nossa meta, a partir da extensão da capacidade de cobertura do sistema, será elevar os índices no município. O amplo investimento em União da Vitória faz parte ainda do pacote de recursos anunciados pelo governador Beto Richa na última semana para 107 municípios das regiões dos Campos Gerais, Centro e Centro-Sul Norte Pioneiro, Vale do Ivaí e Centro do Estado. 

No total, serão aplicados em obras de saneamento básico nestas regiões do Paraná R$ 510 milhões, nos próximos anos. Até o fim de 2018, os investimentos atingirão ainda R$ 1,5 bilhão. O montante se soma ainda aos R$ 4 bilhões repassados desde 2011 pelo Estado. 

O investimento sistemático em saneamento básico resulta na evolução dos índices do Estado. Em seis anos, o índice médio de saneamento do Paraná passou de 51% para 70%. Todo este investimento no Estado e também em União da Vitória têm impacto direto na saúde da população, no meio ambiente e no desenvolvimento sustentável. 


Santin Roveda é prefeito de União da Vitória

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *