Saúde cria Comitê de Enfrentamento para prevenção ao coronavírus

Criação de um Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus, linha direta com a Vigilância Epidemiológica visando atendimento à população e profissionais, capacitação e regulação da rede de atendimento no município. As três medidas emergenciais foram anunciadas na manhã desta quarta-feira (29) durante reunião da Secretaria da Saúde e setores ligados ao atendimento ao público e epidemiologia.

Com monitoramento em tempo real nos canais do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde, o município deu início ao Plano de Enfrentamento. “Estamos monitorando junto com o Estado e com o Ministério toda a situação, tanto no mundo quanto no Brasil, para que possamos ir implementando medidas de acordo com as necessidades. A prefeitura montou uma estruturação e articulação com toda a rede em termos de capacitação, onde vamos trabalhar orientação não somente para quem vive na cidade, mas quem nos visita”, comentou o prefeito Chico Brasileiro, que também integrou a reunião.

Segundo o prefeito, a rede de saúde receberá todo apoio no combate ao novo vírus, caso haja incidência na cidade.  “Toda a rede de saúde está sendo preparada para um possível avanço, do mesmo modo que fizemos em 2009 quando a rede estruturação foi montada. Estamos nos antecipando”.

Linha direta 

O Comitê terá encontros diários para acompanhamento dos casos e monitoramento de números. Na linha direta com a Vigilância, moradores, profissionais ligados à saúde e visitantes poderão ter informações precisas sobre o coronavírus repassadas diretamente pela equipe técnica da Secretaria de Saúde. O número institucional (45) 99992-0550 já está disponível para atendimento de toda a comunidade. O plantão funciona 24 horas e fará atendimentos também  por meio do aplicativo WhatsApp. 

O modelo de atendimento também foi elaborado durante a reunião, seguindo as recomendações do Ministério da Saúde. “Aqui na cidade separamos em duas situações que podem ocorrer; as pessoas com sintomas que procuram unidades,UPAs,as que buscam os hospitais, podendo ser leves ou graves. Então foi definido que casos leves serão manejados pelas unidades, pois não requerem internação,  somente isolamento domiciliar. Nesses casos será feita coleta para fazer investigação na unidade, e aqueles que apresentarem sinais de gravidade, serão encaminhados ao Hospital Municipal que fará todo processo intra hospitalar”.

Casos leves são aqueles com sintomas como; tosse, febre, coriza e dor no corpo. Os graves apresentam, além da febre; dispneia, saturação baixa (quando falta oxigênio) e taquicardia.

O plano deverá passar por adaptações, segundo Doldan, conforme exigência dos atendimentos. As práticas deverão também ser compartilhadas com os países vizinhos para que planos comuns possam ser aplicados simultaneamente. “Foz é município atípico, com muito fluxo de turistas, fronteiras abertas o que nos coloca em alerta”, comentou o enfermeiro.  

A Vigilância informa que toda e qualquer informação oficial sobre o Coronavírus será divulgada via Ministério da Saúde e Organização Mundial da Saúde. “É muito importante que as pessoas não compartilhem notícias falsas sobre essa doença”. Até o momento, nenhum caso foi confirmado no Paraná.