Taxistas paraguaios inciam “cruzada” contra aplicativos Uber e MUV

Os taxistas de Cidade do Leste (PY) inciaram esta semana uma espécie de “cruzada” para identificar e denunciar veículos utilizados por aplicativos de transporte individual. No Paraguai dois aplicativos operam atualmente, o estadunidense Uber e o paraguaio MUV.

Na tarde de quarta-feira (22), uma caminhoneta foi retido por taxistas enquanto circulava próximo à rodoviária, até a chegada da Polícia Municipal de Trânsito que fez a apreensão do veículo. Não foi confirmado que o veículo era utilizado por algum aplicativo.

A MUV chegou em Cidade do Leste em abril e a Uber em dezembro do ano passado. Estima-se que 80 veículos estejam trabalhando nessa modalidade de transporte na cidade.

Os motoristas de aplicativos reclamam que os taxistas baixam os aplicativos para monitorar os carros e “encurralar”, até a chegada da fiscalização de trânsito, que em seguida faz a apreensão.

A coordenadora de comunicação da Uber no Paraguai, Johanna Picciano, disse a empresa tem tolerância zero para qualquer tipo de violência contra usuários ou motoristas do aplicativo. “Apelamos para que os condutores mantenham a calma ante esse tipo de incidentes e comuniquem através do aplicativo. Afirmamos ainda, que colaboramos com as autoridades no que for requerido para investigação”, disse.

Por sua vez, Marcos Amarilla, do Grêmio de Taxistas Unidos del Este (TAUDE), adiantou que seguirão detectando e denunciando esses motoristas, afirmando que eles operam de forma ilegal, por não estarem habilitados pelo Município e Lei Nacional de Trânsito.

“Nós não queremos agredir ninguém. O que estamos fazendo é ajudar o fiscais de transporte a fazerem suas intervenções”, disse o taxistas, afirmando que a ação será constante.

O chefe da Diretoria de Trânsito Municipal, Osvaldo Aquino, confirmou que é aplicada uma multa ao condutor por “concorrência desleal”. O Município ainda não criou uma lei que permite o trabalho de transporte por aplicativo.